Jornal defensor da valorização de Aveiro e da Região das Beiras
Fundador: 
Adriano Lucas (1925-2011)
Diretor: 
Adriano Callé Lucas

Notas da 2.º fase dos exames melhoram mas Matemáticas descem e ficam com média negativa


sexta, 05 agosto 2022

Os alunos do secundário obtiveram melhores resultados na 2.º fase dos exames nacionais em relação à 1.º fase, mas a Matemática A, Matemática Aplicada às Ciências Sociais e Português Língua Não Materna a média desceu e foi negativa.
Na 2.ª fase dos exames nacionais do ensino secundário, a média foi positiva a todas as disciplinas, com exceção de Matemática A e Português Língua Não Materna, ambos com uma média de 9,8 valores, e Matemática Aplicada às Ciências Sociais (9,4 valores).
No caso da disciplina de Português o resultado “não é significativo uma vez que foi apenas realizado por um aluno”, sublinha uma nota do gabinete do Ministério da Educação com base em informação do Júri Nacional de Exames (JNE).
Em relação à 1.º fase dos exames nacionais, as notas costumam descer, mas há quatro disciplinas que se destacam, uma vez que essa tendência não se registou agora: Matemática B, Português, Geometria Descritiva A, Economia A e Inglês apresentam resultados superiores aos observados na 1.ª fase.
Já comparando com os resultados obtidos pelos alunos que realizaram as provas na 2.º fase no ano passado, verifica-se uma melhoria dos resultados a 18 disciplinas, que subiram a classificação média dos seus exames, enquanto nas restantes cinco a média desceu.
Nesta comparação destacam-se o exame final nacional de Matemática B (que subiu 2,5 valores este ano), Física e Química A (mais 1,6 valores), Desenho A (1,2) e os exames de Português e Geografia A, ambos com uma subida média de um valor.
Nas descidas, as maiores diferenças registaram-se às disciplinas de História A (menos 0,9 valores) e História da Cultura e das Artes (0,7 valores).
Ainda comparando com o ano passado, registou-se um aumento significativo de alunos inscritos: Nesta 2.ª fase, realizaram-se 55.055 provas, o que representa um aumento de 15,5% (no ano passado foram feitos 47.666 exames), segundo dados do JNE.